• Joaquim-_-Home

JOAQUIM

Direção: Marcelo Gomes

Status: Em finalização

com Julio Machado, Rômulo Braga, Nuno Lopes, Isabél Zuaa e Welket Bungé

[Longa-metragem / Ficção / 100′]

Século XVIII.  A colônia dos Brasis, parte do Império Português, enfrenta um declínio na produção de ouro. Uma minoria portuguesa governa de forma autoritária e corrupta uma sociedade composta, em sua maioria, por escravos africanos, indígenas e mestiços. Joaquim é um militar de destaque na captura de contrabandistas de ouro. Ele espera que sua dedicação seja recompensada com uma patente de tenente para que possa comprar a liberdade da escrava Preta, por quem é apaixonado. A promoção nunca chega e ele se desespera. Neste momento, Joaquim é designado para uma arriscada missão: encontrar novas minas de ouro no temido Sertão Proibido. Cumpri-la será a única forma de conseguir sua promoção e a liberdade de sua amada.

Em coprodução com Ukbar Filmes (Portugal)

  • A072_C020_01015W
  • Belém, Pará, Brasil. Still de Amores Líquidos, filme de Jorane Castro. 02/05/2015. Foto: Octavio Cardoso.
  • A060_C031_01019J

Para Ter Onde Ir

Direção: Jorane Castro

Status: Em finalização

com Keila Gentil, Lorena Lobato e Anne Oliveira

[Longa-metragem / Ficção / 90′]

Eva Maués, mulher madura e pragmática mas ao mesmo tempo cheia de incertezas, Melina Ribeiro, uma mulher livre que busca encontrar de seu grande amor, e Keithylennye, uma jovem guerreira suburbana, que por circunstâncias da vida, teve que abrir mão de fazer o que mais gosta, ser dançarina de tecnobrega.

Envolvidas num emaranhado de situações, elas partem em uma jornada rumo ao mar e ao (re)encontro de suas próprias vidas levando na bagagem apenas seus sentimentos.

Em coprodução com Cabocla Filmes

  • 1
  • 3
  • 2

O Homem das Multidões

Direção: Marcelo Gomes e Cao Guimarães

Ano: 2013

com Paulo André, Sílvia Lourenço e Jean-Claude Bernadet

[Longa-metragem / Ficção / 95′]

Juvenal é um maquinista de metrô em Belo Horizonte, Margô controla o fluxo dos trens. Ambos vivem em um estado de profunda solidão – cada um a sua maneira. Esse filme é uma reflexão sobre diferentes formas de solidão e amizade no universo urbano brasileiro.

Em coprodução com Cinco Em Ponto

  • 2
  • 1
  • 4

Tatuagem

Direção: Hilton Lacerda

Ano: 2013

com Irandhir Santos, Jesuíta Barbosa, Rodrigo García e Sylvia Prado

[Longa-metragem / Ficção / 110′]

Brasil, 1978. A ditadura militar, ainda atuante, mostra sinais de esgotamento. Em um teatro/cabaré, localizado na periferia entre duas cidades do Nordeste do Brasil, um grupo de artistas provoca o poder e a moral estabelecida com seus espetáculos e interferências públicas. Liderado por Clécio Wanderley, a trupe conhecida como Chão de Estrelas, juntamente com intelectuais e artistas, além de seu tradicional público de homossexuais, ensaiam resistência política a partir do deboche e da anarquia.

A vida de Clécio muda ao conhecer Fininha, apelido do soldado Arlindo Araújo, 18 anos: um garoto do interior que presta serviço militar na capital. É esse encontro que estabelece a transformação de nosso filme para os dois universos. A aproximação cria uma marca que nos lança no futuro, como tatuagem: signo que carregamos junto com nossa história.

  • Foto-10
  • Foto 20
  • Foto 14

ERA UMA VEZ EU, VERÔNICA

Direção: Marcelo Gomes

Ano: 2012

com Hermila Guedes, João Miguel e W.J. Solha

[Longa-metragem / Ficção / 100′]

Verônica atravessa um momento crucial em sua vida, um momento pleno de incertezas: sobre sua escolha profissional, sobre seus laços afetivos, sobre sua capacidade de lidar com a vida nova que se aponta daqui pra frente.

Era uma vez eu, Verônica é um conto de fadas ao contrário, sem fadas, sem casamentos, sem sonhos. Uma história que se revela através de aventuras, desventuras, desejos e canções.

Em coprodução com Dezenove Som e Imagens (Brasil) e Urban Factory (França)

  • still 11
  • still 4
  • still 82
  • banheiro_restaurante

Viajo Porque Preciso, Volto Porque te Amo

Direção: Marcelo Gomes e Karim Aïnouz

Ano: 2009

com Irandhir Santos

[Longa-metragem / Ficção / 70′]

José Renato, 35 anos, geólogo, viaja a trabalho pelo Sertão – lugar despovoado, silencioso. José Renato pesquisa a construção de um canal para a transposição de um rio. Ele sente muita saudade da mulher. Tem vontade de voltar. Este filme é um relatório de prospecção geológica, uma música romântica, uma declaração de amor. Duração inicial da viagem: 30 dias.

Em coprodução com Gullane Entretenimento

  • KFZ_ninha_1
  • 1
  • Zé Seabra - Ferro-Velho
  • 5 (2)

KFZ-1348

Direção: Marcelo Pedroso e Gabriel Mascaro

Ano: 2007

[Documentário / Brasil / 81′]

Em 1965, um fusca é vendido a um jovem engenheiro civil de São Paulo. Quarenta anos se passam e o carro vai parar num ferro-velho do Recife, com a placa KFZ-1348. Nessa trajetória de quatro décadas, o carro passou pelas mãos de outros sete proprietários. De um empresário paulista a uma cabeleireira do interior de Pernambuco: para cada um deles, o fusca teve seu valor, sua importância, em diferentes momentos da história do Brasil. O documentário “KFZ-1348” parte em busca dessas histórias, tendo o carro como fio condutor e a vida de seus proprietários como janela privilegiada para observação da sociedade brasileira.

  • 000030_home
  • 000027
  • 000026
  • 000013

CINEMA, ASPIRINAS E URUBUS

Direção: Marcelo Gomes

Ano: 2005

com Peter Ketnath, João Miguel e Hermila Guedes

[Longa-metragem / Ficção / 101′]

1942. No maio do sertão nordestino, dois homens se encontram: Johann, um alemão que fugiu da guerra, e Ranulpho, um brasileiro que quer escapar da seca que assola a região. Viajando de povoado em povoado, eles exibem filmes para pessoas que jamais haviam conhecido o cinema, para vender um remédio “milagroso”. Continuando a cruzar as estradas empoeiradas de um sertão arcaico, eles buscam novos horizontes em suas vidas. Nesta jornada, os dois aprendem a respeitar as diferenças e surge entre eles uma amizade incomum, mas que marcará suas vidas para sempre.

Em coprodução com Dezenove Som e Imagens

  • 06
  • 04
  • 02

Boa Sorte, Meu Amor

Direção: Daniel Aragão

Ano: 2012

com Cristiana Ubach, Vinícius Zinn e Bianca Müller

[Longa-metragem / Ficção / 95′]

Dirceu vive no Recife, cidade cuja paisagem sofre um descontrolado processo de transformação, em parte graças ao seu trabalho em uma empresa de demolição. Maria compartilha as mesmas origens sertanejas, embora use a cidade para outro propósito. Para ela, é uma despojada estudante de música com alma de artista. Se Dirceu aspira a um mundo estável e presente, Maria vive em discordância com o presente.

Em coprodução com Cicatrix Filmes e Orquestra Cinema Estúdios

  • 2
  • Filme Falsa Loura (2007)

FALSA LOURA

Direção: Carlos Reichenbach

Ano: 2008

com Djin Sganzerla, Cauã Reymond e Rosanne Mulholland

[Longa-metragem / Ficção / 103′]

Silmara, uma operária especializada de exuberante beleza, que sustenta o pai incendiário, se envolve com dois mitos diferentes da música popular e com cada um deles irá experimentar traumáticas lições de vida.

Produção: Dezenove Som e Imagens / Produção Associada: REC Produtores Associados

  • A atriz Dira Paes em cena do longa metragem Baixio das Bestas.
Direcao de Claudio Assis; Direção de Fotografia de Walter Carvalho.
Zona da Mata de Pernambuco, janeiro e fevereiro de 2006.
Foto: Gilvan Barreto/Divulgacao
(55-21) 2246-0368 / 8265-6326
www.gilvanbarreto.com
  • 1

Baixio das Bestas

Direção: Cláudio Assis

Ano: 2007

com Mariah Teixeira, Fernando Teixeira, Caio Blat, Dira Paes, Matheus Nachtergaele e Marcélia Cartaxo

[Longa-metragem / Ficção / 120′]

Na Zona da Mata pernambucana, região de canaviais que movimentam trabalhadores rurais e caminhoneiros, vive Auxiliadora, jovem de 16 anos explorada por seu avô, Heitor. O homem tem um discurso moralista mas não pensa duas vezes antes de exibir a neta nua por dinheiro em um posto de parada de caminhões. Na cidade mora o estudante Cícero, de família de classe média, que passa os fins-de-semana envolvido com álcool, drogas e orgias sadomasoquistas com as prostitutas de Dona Margarida, comandadas pelo doentio Everardo. Cícero vê Auxiliadora no posto e imediatamente a deseja, passando a segui-la pelas ruas. No campo, a moça chama a atenção do humilde Maninho, mas, apesar dela também se interessar por ele, o rapaz é afastado pelo avô e se ressente disso.

Produção: Parabólica Brasil / Produção Associada: REC Produtores Associados

  • rat_163614a03383fc6106
  • image

O Rap do Pequeno Príncipe contra as Almas Sebosas

Direção: Paulo Caldas e Marcelo Luna

Ano: 2000

com Helinho “Pequeno Príncipe”, Garnizé, Zé Brown, Racionais MC's

Documentário / Brasil / 85′]

Dois personagens reais, Helinho e Garnizé, formam o eixo do documentário. Helinho, justiceiro, 21 anos, conhecido como “Pequeno Príncipe”, é acusado de matar 65 pessoas no município de Camaragide (PE) e em alguns bairros de subúrbio. Garnizé, músico, 26 anos, componente da banda de rap Faces do Subúrbio, militante político e líder comunitário em Camaragide, usa a cultura para enfrentar a difícil sobrevivência na periferia. Os dois são os opostos e ao mesmo tempo iguais na condição de filhos de uma guerra social silenciosa, que é travada diariamente nos subúrbios das grandes cidades brasileiras.

Produtora: Raccord Filmes / Produtora Associada: REC Produtores Associados

Top